A Associação Portuguesa de Psiquiatria da Infância e da Adolescência (APPIA) foi criada a 27 de Julho de 1989 por iniciativa do Dr. António Coimbra de Matos e recebeu a adesão geral dos pedopsiquiatras. A sua primeira presidente foi a Drª Margarida Mendo.

O primeiro Encontro Nacional da APPIA realizou-se em 1990, tendo sido lançado, nessa altura, o primeiro número da Revista Portuguesa de Pedopsiquiatria, com o patrocínio da Fundação Calouste Gulbenkian. O Dr. António Coimbra de Matos foi o seu primeiro Diretor, a quem sucedeu a Dra. Mª Luís Borges de Castro. Em 2014 o Dr. Pedro Pires assumiu a direção da Revista que, em 2015, passou a ter uma edição digital.

Criança a sorrir

Os Encontros Nacionais constituem um momento de encontro dos pedopsiquiatras portugueses, e têm-se realizado todos os anos desde 1990.

Em 1995 a Revista Portuguesa de Pedopsiquiatria iniciou a organização de Colóquios Científicos, que se mantêm até à atualidade.

Foi criado um prémio de homenagem ao Dr. João Santos, atribuído anualmente aos três melhores trabalhos apresentados no Encontro Nacional da APPIA.

Em 1999 deu-se início a um ciclo de reuniões de trabalho restritas a associados, onde são discutidas questões pertinentes para a prática clinica e organização de Serviços de Saúde Mental da Infância e da Adolescência.

Em 2001 a APPIA organizou, em Lisboa, o 3º Congresso Europeu de "Psicopatologia e Parentalidades" da Association Europeénne de Psychopathologie de l'Enfant et l'Adolescent (AEPEA).

A APPIA integra o Conselho Nacional de Saúde Mental, órgão consultivo do Ministério da Saúde, participando na discussão e elaboração de documentos relevantes para a definição de políticas de saúde mental na infância e na adolescência.

Em 2014 a APPIA comemorou os 25 anos da sua existência.